Com a troca de equipamentos standard pela linha Wmagnet, Teka ganha mais produtividade e ainda economiza energia

Buscar maior eficiência energética é um dos grandes objetivos da Teka, uma das maiores fabricantes de artigos de cama, mesa e banho da América Latina, com sede em Blumenau (SC). Como parte de seu planejamento estratégico, a empresa desenvolve dois programas com este intuito: o primeiro compreende a troca de motores queimados por outros de alto rendimento e o segundo, a substituição através de estudos de repotencialização.

Assim, quando o motor original (de anéis) da máquina de engomar fio para urdume queimou, no início deste ano, a decisão de buscar uma alternativa mais eficiente foi o caminho natural. Antigo, o equipamento que era usado tinha escovas que precisavam ser substituídas periodicamente, e exigia manutenção constante. Além disso, consertá-lo custaria 115% do valor de um motor novo e mais eficiente.

Após um estudo com a Eletromecânica Standard, parceira na manutenção de motores, em conjunto com técnicos da WEG, a Teka optou por instalar o Conjunto Motor WMagnet Drive System de 15 KW, que permite a variação de rotação. Os resultados não tardaram a aparecer. A mudança permitiu a redução de custos de manutenção (praticamente zero) e de horas de máquina parada, variação de velocidade do motor com torque constante (que se traduz em economia de energia) e mais potência na operação. E garantiu maior versatilidade no controle de velocidade, o que é primordial para a qualidade da engomagem, processo anterior à produção do tecido na Tecelagem.

A instalação foi simples, com a automatização entre o motor, inversor e máquina e adaptações mecânicas, já que o WMagnet é duas vezes menor que o motor original. Enquanto o antigo pesava cerca de 360kg, o motor novo tem 70kg, o que demanda menos espaço e facilita eventuais manutenções.

Veja as fotos no flicker: http://www.flickr.com/photos/weg_net/sets/72157622558419853/

Fonte: https://www.weg.net/institutional/BR/pt/news/produtos-e-solucoes/solucoes-weg-garantem-mais-eficiencia-para-a-industria-textil